NEANDERTAL

A história dos Video Games

Postada em 2013-07-28, por: Demétrius Löblein e lida: 1886 vezes!
      Quem não lembra dos clássicos video games! Muita gente passou metade da juventude em frente de um clássico como Mário, Street Fighter, Sonic, Pac Man; Muita gente passa até hoje metade da vida em frente deles. O NEANDERTAL faz uma viagem pelos classicos da diversão nerd com uma lista dos mais populares consoles da história.
1971 - Odyssey
 

Em, 1949 o engenheiro Ralph Baer foi incumbido de criar a melhor televisão do mundo. Ele pensava em criar uma TV interativa com jogos, mas a idéia não vinga. Anos mais tarde, em 1971, a Magnavox compra o projeto de Baer, da Sanders Associates, e começa a desenvolver o Odyssey, o primeiro videogame para ser conectado à TV. Começava então uma nova éra para a mídia, os Videos Games.

1977 - Telejogo
 

O Telejogo baseado no Arcade Pong (com uma variação de 3 jogos) tinha dois Knobs embutidos no console. A Movimentação assim como no primeiro modelo do Odyssey limitava-se apenas para cima ou para baixo e em alguns casos direita e esquerda.

1977 - Atari 2600
 
Atari desenvolve o VCS (Video Computer System, mais tarde chamado de Atari 2600) e lança-o no Natal de 1977 por US$ 249,95. Esse é o primeiro console programável com jogos em cartucho da Atari. Entre os títulos, há conversões de jogos para arcade e games criados exclusivamente para o console doméstico. As vendas são um tremendo sucesso e, mesmo assim, acontecem atritos entre Bushnell e Steve Ross, presidente da Warner Communications. Um dos lendário é o grande lançamento do ano: Asteroids. Apesar de ter vendido 80 mil cópias e de ter virado febre nos EUA, o jogo não fez muito sucesso em outros países.
1982 - Commodore 64
 

A empresa Commodore lança o Commodore 64, um computador relativamente barato e poderoso. Atingia uma resolução de 320 x 200 pixels e 16 cores simultâneas, performance melhor que qualquer videogame da época.

1983 - Nintendo family computer (Famicom)
 
Durante o seu primeiro ano o Famicom foi criticado por alguns erros de programação o que fez a Nintendo executar um recall de todos os consoles vendidos e parar temporariamente a sua produção. Mais tarde, já com o problema solucionado, a Nintendo voltou a comercializar o Famicom se tornando o console mais vendido no Japão no final de 1984. É na verdade o mesmo video game que 2 anos depois seria chamado apenas de NES.
1986 - Nintendo (NES)
 

Em 1986, quando a Nintendo lança o NES (Nintendo Entertainment System) nos EUA. E pensar que a Nintendo procurou a Atari para fazer marketing do seu produto. A Nintendo começa a fazer testes em Nova York para vender o NES no mercado americano. Os varejistas estavam tão céticos em relação aos videogames que a Nintendo teve de concordar em recomprar tudo que não fosse vendido pelas lojas. E mais: deveria reformular o design para se adaptar ao gosto dos americanos, para quem videogame era acessório de TV, não um brinquedo

1986 - Clones do NES
 

Devido a grande popularidade do NES ou (Famicom) houve no mundo todo uma grande quantidade de cópias de hardware do NES ou aparelhos compatíveis com o mesmo. Normalmente a aparente vantagem desses aparelhos é ser mais barato que o NES original. Entre os clones estão:Dynavision(foto), Phantom System, Top Game, Dendy e muitos outros.

1986 - Master System
 

A Sega também entra no mercado americano com seu console, o Master System, esperando desempenho superior ao do mercado japonês. Distribuído pela Tonka, fabricante de caminhões de brinquedo, o console chega com a força do nome Sega nos arcades e alguns jogos originais, como Hang On e Fantasy Star, mas não implaca. As conversões de arcade da Sega eram muito fracas, apesar de outras softhouses terem desenvolvido bom trabalho. A pistola e os caros óculos 3D, ambos para poucos jogos, não ajudam a melhorar a imagem do Master System. Posteriormente, o console é lançado no Brasil pela Tectoy.

1989 - Game Boy
 

A Nintendo lança o Game Boy nos Estados Unidos. Preço: US$149,95. O videogame portátil com imagens em preto-e-branco, e que vinha com o cartucho Tetris, começou uma história de recordes. Versões de Super Mario, o Super Mario Land, um clone de Breakout, Alleyway e um jogo de beisebol foram lançados rapidamente.

1989 - Mega Drive (Genesis)
 

Sega lança o Genesis - Mega Drive para brasileiros e japoneses - nos EUA. No Japão, o console já tinha relativo sucesso. Ao preço de US$ 249,95, o Genesis vinha acompanhado de Altered Beast. O marketing da Sega, que valorizava o potencial da máquina para conversões de arcades, ajudou o Genesis a ser um sucesso. ( Quem não lembra do comercial de tv com o Sonic fazendo sinal de vitória )

1990 - Neo Geo
 

NeoGeo é um sistema de jogos para arcade e consoles lançado em 1990 pela empresa japonesa de jogos SNK. Para a época apresentava gráficos coloridos e bem detalhados além de áudio de alta qualidade. Inicialmente vendido com um sistema para arcades, depois foi vendido em versão doméstica. As duas versões são conhecidas como MVS (Multi Video System, para arcade) e AES (Advanced Entertainment System, sistema de entretenimento avançado, versão doméstica).

1991 - Super Nintendo (SNES)
 

A Nintendo lança em 1991 a versão americana de Super Famicon, o Super NES, por US$ 249,95. Jornalistas questionavam se o novo Mario seria o suficiente para atrair os fabricantes dedicados ao NES. O console trouxe os famosos Street Fighter 2 e Super Mario World. Foi uma fédre no Brasil sendo o console mais vendido de 1992 a 1995. Chegou a ter um projeto para um CD-ROM desenvolvido pela Sony. Mas logo o projeto foi descartado e se tornaria mais tarde o famoso PlayStation

1992 - Sega CD
 

O Mega Drive ganha seu CD-ROM, o Sega CD nos EUA, mas a Sega não permite que as softhouses tenham acesso fácil à recursos como o zoom e a rotação de sprites. Para impulsionar a venda do Sega CD, a Sega americana concentra os títulos nos 'cinemas interativos', como Night Trap, gêneros inadequados para cartuchos. Muitos arcades estavam sendo preparados mas, nos EUA, o periférico não pegou e ninguém estava desenvolvendo grandes jogos.

1993 - 3DO
 

A Panasonic começa a campanha de marketing do seu 3DO (US$ 699), o primeiro videogame 32 bits da história, desenvolvido pela empresa 3DO. Com o apoio de grandes softhouses do mundo inteiro - algumas desenvolviam exclusivamente para o console - o 3DO pareceu invencível no começo. Road Rash, da Electronic Arts, foi uma das sensações do console.

1994 - Neo Geo CD
 

Devido ao alto preço do Neo-Geo, a SNK resolve lançar um modelo mais barato, já que o console de cartucho era extremamente caro, e seus jogos também (um bom jogo custava cerca de $300, o preço de lançamento do Neo-Geo CD), a solução foi usar o CD no lugar do cartucho. Nasceu então, em 1994, o Neo-Geo CD, que não devia nada em potência ao Neo-Geo original, e tinha um som melhorado, devido ao sistema de cd, seus jogos também eram bem mais baratos, que custava em média 5 vezes menos do que os cartuchos utilizados no Neo-Geo, o console lia também cds de música.

1994 - Jaguar
 
A Atari lança o Atari Jaguar, que a empresa diz ser o primeiro console de 64 bits do mundo. Tecnicamente, é discutível se o Jaguar tinha ou não 64 bits. Na prática os jogos estavam apenas um nível acima dos consoles de 16 bits. Poucas softhouses fizeram jogos para o Jaguar, mas, pelo menos para os americanos, o console teve um valor sentimental. Foi no Jaguar que Rayman, da UbiSoft, teve sua primeira aparição.
1994 - Sega Saturn
 
Sega Saturn (1994-Japão e 1995-EUA), rodava jogos em CD-ROM. Muito bem-sucedido no Japão, mas não no resto do mundo, devido á menos jogos (a complexa engenharia interna do Saturn tornava a programação difícil) e fãs irritados com o monte de periféricos do Mega Drive. Os grandes sucessos vinham de conversões de arcade (Virtua Fighter, Daytona USA, Virtua Cop) ou títulos originais da própria Sega (Panzer Dragoon, NiGHTS into Dreams). Vendeu 10 milhões de consoles. Lançado no Brasil pela Tec Toy.
1995 - PlayStation
 
PlayStation (1995), da novata Sony, nascera de uma parceria desfeita entre a Nintendo e a Sony, no meio do projeto, para criação um periférico de CD para o Super NES. Conseguiu logo o apoio de softhouses como Square (a série Final Fantasy, Chrono Cross), Konami (Metal Gear Solid, Castlevania: Symphony of the Night) e Namco (Tekken, Ridge Racer), assim tendo grande biblioteca de jogos. Tornou-se o líder da geração, com 100 milhões de consoles.
1996 - Nintendo 64
 
Nintendo 64 (1996), possuía 64-bits. Por manter o formato de cartucho, perdeu muitos desenvolvedores, e a maioria dos títulos vinha da própria Nintendo (Super Mario 64, The Legend of Zelda: Ocarina of Time, F-Zero X) ou da subsidiária Rare (GoldenEye 007, Banjo-Kazooie, Perfect Dark). Ainda assim, garantiu o segundo lugar com 33 milhões de consoles. Lançado no Brasil pela Gradiente.
1998 - Sega Dreamcast
 

A sexta geração, a dos 128-bit, e começara com o lançamento do Sega Dreamcast (1998 no Japão, 1999 nos Estados Unidos). Embora o Dreamcast tivesse sido bem aceito, as vendas caíram no momento em que a Sony anunciou o lançamento do PlayStation 2 para 2000. Em 2001, a Sega abandonou o console e passou a dedicar-se exclusivamente à jogos. O console vendeu 10 milhões de unidades.

2000 - PlayStation 2
 

O PlayStation 2, lançado em 2000, continuou o legado de sucesso do PlayStation. Apoiado pela compatibilidade com jogos do original, o fato de rodar DVDs, e apoio da maior parte dos desenvolvedores, o PS2 vendeu 120 milhões de consoles em 7 anos. O console mas vendido de todos os tempos. Entre outras possibilidades vinha com a função de permitir assistir filmes em DVDs.

2001 - Nintendo Game Cube
 

A Nintendo anunciou em 1999 que estava desenvolvendo o sucessor do N64, com processadores desenvolvidos pela IBM. Originalmente com o codinome "Dolphin", em 2000 fora batizado como Nintendo GameCube, e lançado em 2001. Com medo da pirataria, a Nintendo não fez jogos em DVDs normais, mas em mini-DVDs com capacidade para 1,5 gigabytes. Devido á essa mídia diferente, e a imagem "familiar" da Nintendo, muitos fabricantes não colaboraram com o console. Apoiado principalmente por jogos da própria Nintendo, o GameCube já vendeu mais de 20 milhões de unidades.

2001 - Xbox
 

Em 2001, um novo competidor entrava no mercado: a gigante do software Microsoft, com o Xbox. Também compatível com DVDs, e com um disco rígido para salvar jogos e músicas, o console possuía poucos jogos exclusivos (como a bastante vendida série Halo), mas geralmente recebia as melhores conversões. A Microsoft alcançou o 2o lugar no mercado, com 25 milhões de unidades.

2004 - Nintendo DS
 

Em 2004, a Nintendo lançou o Nintendo DS (o que significa, segundo a Nintendo, Dual Screen e Developers System), com inovações como tela sensível a toque e microfone embutido.

2004 - PlayStation portable (PSP)
 
No mesmo ano de 2004, a Sony resolveu investir no mercado dos portáteis, com o PlayStation Portable (PSP), capaz de rodar filmes e músicas além de jogos. O DS e o PSP são considerados concorrentes, mas Nintendo e Sony dizem que seus portáteis são mirados em audiências diferentes.
2005 - Xbox 360
 

A sétima geração começou em 2005, com o novo console da Microsoft, o Xbox 360.

2006 - Nintendo WII
 
A Nintendo lançou o Wii em 19 de Novembro de 2006 nos EUA Tem joysticks com sensores de movimento. O motivo de instalar sensores foi para "revolucionar a forma de jogar", , uma vez que permite muito maior variedade de movimentos.
PlayStation 3
 
Sony com seu Playstation 3, lançou em 11 de Novembro de 2006 no Japão, 17 de Novembro de 2006 nos EUA e Março de 2007 na Europa. Tem joysticks com sensores de movimento porém o controle do PlayStation 3 teve seu nome alterado para Sixaxis (que em Inglês significa Seis Eixos).
 
por: Demétrius Loblein

Recomendamos